sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

«A cinza recorda-nos o percurso da nossa existência: do pó à vida. Somos pó, terra, barro; mas, se nos deixarmos plasmar pelas mãos de Deus, tornamo-nos uma maravilha. Todavia muitas vezes, sobretudo nas dificuldades e na solidão, vemos só o nosso pó! Mas o Senhor encoraja-nos: o pouco que somos, aos olhos d’Ele tem valor infinito. Coragem! Nascemos para ser amados; nascemos para ser filhos de Deus.»

Da Homilia do Papa Francisco em 4ª feira de Cinzas (26/2/2020)

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Podemos ser pessoas sempre a caminho, sempre em busca de alguma coisa, à procura da ideal perfeição, e isso é saber viver. Porque estagnar, não querer romper as trevas, é perder-se da vida.
27/2/2020
Teresa Ferrer Passos

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Em 4ª feira de Cinzas

Perfeito só Deus, "Bom é Meu Pai" disse Jesus. Nós só podemos ser imperfeitos no "amar todos os que Deus ama", mas isso não obsta que tentemos sempre superar a nossa imperfeição.
Que Maria Santíssima nos dê o seu precioso auxílio.

E que as cinzas se transformem em fogo de Amor.

26/2/2020
Teresa Ferrer Passos

sábado, 22 de fevereiro de 2020


As flores descobriram o sentido da vida.
Cada uma que nasce encerra essa sabedoria...
 22/2/2020
T.F.P.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

A indiferença ao mal afecta cada vez mais a sociedade. Estão a tornar-se banais muitas realidades e as pessoas habituam-se. Se tudo é permitido... a fronteira entre o bem e o mal esbate-se de tal maneira, que deixa de se ver a distinção, mesmo a contraposição dos dois conceitos, e tudo acaba por ser atingido por arrasto...
21/2/2020



***
AINDA ACERCA DA LEI DA DESPENALIZAÇÃO DA EUTANÁSIA

A Constituição pode alterar-se, dizem muitos, mas a verdade é que não pode estar à mercê de cada uma das maiorias políticas que se forem formando ao longo dos anos, na Assembleia da República. A Constituição deve estar acima de ideologias políticas ou de interesses económicos. A Constituição deve seguir a Lei Geral ou Universal, segundo os princípios superiores da Humanidade. Se se permitir que um médico execute o pedido de um doente para o matar, e cometa o homicídio, sem incorrer qualquer pena, não é respeitado o Código Penal da Justiça. Então, não poderão todos aqueles que estão presos porque mataram, pedir a liberdade imediata, e com razão? A Justiça não pode ter dois pesos e duas medidas. A Justiça tem de ser igual para todos.
21/2/2020
Teresa Ferrer Passos

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

No 1º centenário da morte de Santa Jacinta Marto (11 de Março de 1910-20 de Fevereiro de 1920)


Jacinta Marto


menina da fé, 
menina herói,
menina inocente
e prisioneira em Agosto de 1917.

na prisão ofereceu as palavras doridas
de Maria aos condenados
ali mesmo, onde o ódio perpassava.
e eles a elevaram nos braços e cantaram o amor
com ela, com Francisco e Lúcia.
ali, a escutaram até
nas lágrimas pelos que não acreditavam
e foram eles que, olhando
a menina inocente e prisioneira,
acreditaram na redentora Mãe.

20 de Fevereiro de 2020
Teresa Ferrer Passos

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

No 26º aniversário do nosso casamento na igreja de S. Nicolau em Lisboa



MARE NOSTRUM 

Os dias foram estranhos, os dias que vieram, 
Em que eu e tu, de estranhos, tão próximos ficámos, 
E juntos navegámos por esse mar acima, 
A Norte da bonança, o leme a quatro mãos, 
Por noites tão cerradas que só raios brilhavam 
E o rasto que deixavam queimava como fogo. 

O mar era infinito e nós dois tão pequenos, 
O mar tão poderoso e nós como uns insetos, 
Perdidos em desertos, em vastidões vazias. 

E o tempo foi passando, e tanto mais unia 
Os dois que navegavam, o leme a quatro mãos. 
E o mar que me assustava com sua imensidão, 
O mar era dos dois, e ao fim de muitos anos, 
Por fim eu percebi: o nosso mar é Deus. 
    
19/2/2020 

Fernando Henrique de Passos
Livraria Ler Devagar no ano 2000

PARA ALÉM DE MIM

um tronco de árvore caído nos fetais
bradou-me a voz exorbitante do amor
num canto inaudível ou
fatal desígnio do Imenso?
com as mãos ardentes
toquei as tuas mãos
entrelaçando os dedos.
um sentido único pertinente ergueu-se.
os obstáculos inclementes
pousaram em mim, 
quase me fizeram desfalecer.
a caminhada no deserto prossegui
a exaustão atordoou-me demais.
e foi precisamente aí que vi
quanto escondido amor
havia para além de mim. 

19/2/2020
Teresa Ferrer Passos

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020



A MENTE TRANSPARENTE (micro conto infantil)

Era uma vez um menino muito mau. O menino muito mau só tinha duas qualidades: não gostava de ser mau e dizia sempre a verdade. Por isso acabava sempre por contar as maldades que tinha feito, mesmo sem ninguém lhe perguntar, embora o fizesse com grande sacrifício. Mas, à custa de tanto escancarar as portas da sua alma, houve um dia em que uma mola se partiu. A partir daí as portas da sua alma passaram a ficar sempre abertas, e todas as pessoas a podiam ler diretamente, mesmo sem o menino dizer nada. Quando o menino muito mau percebeu que todas as pessoas sabiam o que ia dentro dele, mesmo que ele não dissesse uma palavra, ficou tão contente por nunca mais ter de contar as maldades que fazia, que nunca mais fez maldades nenhumas, e passou a ser um menino muito bom.

17/2/2020
Fernando Henrique de Passos

«Um conto grande, parecendo pequeno... Gostei muito quando li este conto inédito».
Coment., Facebook 18/2/2020

«Profunda mensagem!»
Teresa Ferrer Passos




«Não consigo deixar de pensar nas duríssimas palavras registadas em Lucas 18, 7-8. Nem a companhia da pintura de Georges Rouault (1871 - 1958) apaga as frases da minha memória...»
Ruy Ventura, post. Facebook, 12/2/2020

«Depois da pergunta surge a resposta: "Ele lhes farás justiça e depressa". E conclui-se assim a frase de Lc 18,7-8".»
Teresa Ferrer Passos, coment., Facebook, 12/2/2020

«... dependendo da fé...»
Ruy Ventura, coment. Facebook, 12/2/2020 

«de facto, Deus iria satisfazer os pedidos (e ainda para mais dos Seus eleitos), se eles não permanecerem fiéis, ou seja, com fé n'Ele? Daí a suprema importância da fé: Jesus, nesta passagem lembra que quando o Filho do Homem [ Ele próprio] vier, poderá já "não encontrar fé sobre a terra". A dúvida é colocada claramente. Outras frases de Jesus confirmam que Deus ouve os que clamam e "far-lhes-à justiça prontamente". Lembro, por exemplo, logo a seguir, quando Jesus diz: "Salvou-te a tua fé" (Lc 18, 42). Na verdade como poderá entrar num Reino de Santidade, Santo, quem não for santo? Só poderia esse Reino deixar de ser Santo, o que é um absurdo...»
Teresa Ferrer Passos, coment. Facebook, 13/2/2020

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

A vitória maior do ser humano

Ser capaz de viver derrotado, é uma expressão de vitória bem maior do que conseguir ser vencedor; ser capaz de ser pobre é uma vitória bem maior do que ser capaz de se tornar rico; aceitar ser perseguido é uma vitória bem maior do que alcançar êxitos e os elogios da sociedade.
Os verdadeiros heróis são aqueles que aceitam viver com a infelicidade.

17/2/2020
Teresa Ferrer Passos

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Sobre a proposta de Lei que defende a legalização da eutanásia


«A vida dos doentes tem um valor idêntico à vida dos saudáveis. Passar a ideia de que há vidas que, em determinadas situações, podem valer menos do que outras é um princípio que conflitua com os valores universais que nos regem»

Cardeal José Tolentino de Mendonça, Jornal da Madeira, 10/2/2020

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Natividade da Virgem Maria, a mãe de Deus

«S. Joaquim e Santa Ana com a Virgem Maria Menina»
do pintor italiano Francesco di Mura (1696-1782)

Ana e Joaquim eram um casal estéril já de avançada idade. Um dia, o Sumo sacerdote do Templo de Jerusalém, não aceitou o sacrifício de Joaquim, quando o oferecia a Deus, pois a esterilidade era considerada uma maldição. Então, Joaquim foi para o deserto pedindo a Deus que Ana ainda pudesse ter um filho. Às suas súplicas juntaram-se as de Ana. E Deus ouviu-os. Da sua grande perseverança na fé, nasceu Maria. E Deus elevou esta Virgem fazendo-a Imaculada para a tornar a Mãe do Salvador do mundo.
 15/2/2020
                                                                                    Teresa Ferrer Passos

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

A memória do dia da morte de Lúcia - 13 de Fevereiro de 2005


Lúcia, uma criança que viu Maria Santíssima,a Mãe de Jesus, e que nesses momentos da Sua descida à terra do bem e do mal, onde habita a humanidade, dela recebeu a voz de Deus.
    
13/2/2020
Teresa Ferrer Passos 

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

O silêncio e a palavra


Saber escutar alguém, é uma arte difícil, mesmo que seja só o seu silêncio, por já não poder falar. O silêncio desse alguém provoca as nossas palavras que começam a construir um monólogo interminável edificado na espera de consolar ainda. 
       
5/2/2020
Teresa Ferrer Passos

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Poema dedicado ao Fernando no dia seguinte à morte de sua mãe

                       
   
               para o Fernando

bendita a dor
de cada dia

o pão
nela amassado

o que nos fica
do que em abundância
nos foi dado de alegria
e outras coisas do ar

cada rosa e cada noite
lembradas
no que foi nas mãos guardadas
e depois no coração

a dor que ainda assim
e sempre

2/2/2020
                Carlos Lopes Pires

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

Ilegitimidades jurídicas e éticas: o prolongamento artificial da vida e a lei da eutanásia

«(...) É verdade que algumas vidas humanas são penosas, sobretudo no seu termo, e por isso, não devem ser artificialmente prolongadas. Mas o encarniçamento* terapêutico, que é eticamente condenável e que São João Paulo II terá recusado no final da sua vida, não pode servir de pretexto para que se introduza no ordenamento jurídico o princípio de que a vida humana é descartável. Admitir que o direito à vida, por razão da idade ou das capacidades do sujeito, pode ser relativizado, é criar um precedente para o extermínio de seres humanos**»

P. Gonçalo Portocarrero de Almada, «Eutanásis?» in Observador, 13/2/2016

* 1ª prática médica condenável: no contexto de uma doença incurável e terminal, aplicam-se manobras e tratamentos inúteis ou desproporcionados face aos resultados que deles possam esperar-se, com sacrifício do bem estar e dignidade do doente. Escreve o bispo de Aveiro António Moiteiro: «A renúncia a meios extraordinários ou desproporcionados não equivale ao suicídio ou à eutanásia; exprime, antes, a aceitação da condição humana perante a morte’”, acrescenta o bispo de Aveiro,  sublinhando: “É, pois, bem diferente matar e aceitar a morte”.» (Nota pastoral de 4/2/2020)
** 2ª prática médica condenável: Eutanásia (morte do doente a pedido deste*** e posta em execução).



*** Sobre a votação na A.R. da prática da eutanásia:

A prática da eutanásia é um crime de homicídio sobre um doente, porque a responsabilidade da morte não se fica apenas com aquele doente que a pediu, mas também com aqueles que executam o pedido. O pedido é imoral porque leva alguém a cometer um homicídio. E o homicídio é passível de condenação judicial pela Lei.
    11/2/2020, Dia Mundial do Doente

Teresa Ferrer Passos

domingo, 2 de fevereiro de 2020

Eterna saudade

Altar mor da igreja de S. Miguel, em Queijas

Realiza-se hoje, pelas 14,30 horas, na igreja paroquial de S. Miguel, em Queijas, a missa de corpo presente por intenção de Maria de Lurdes Guerne Garcia de Lemos Passos Silva, saudosa mãe de Fernando Henrique de Passos, Segue-se o funeral para o cemitério de Queluz.


sábado, 1 de fevereiro de 2020

Na morte da mãe do Fernando


a morte anunciada

a viver na angústia esgotante
no sofrimento interminável
sem palavras
as faces pálidas
o olhar parado
o ar rarefeito
a rejeitar os alimentos
a vida prostrada nos lençóis
a vida recusada tantas vezes
a morte distante
sem dó nem piedade
e foi a morte que lhe trouxe a paz

1/2/2020
                  Teresa Ferrer Passos

A morte encontrou-se hoje com Maria de Lurdes Passos Silva (1922- 2020), a mãe do meu marido. Aos noventa e sete anos, partiu exausta, depois de pesada enxada a suportar.

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Para uma doente ainda jovem...

O sofrimento é suportado pela força dos fortes! O sofrimento salva, não condena. E as estrelas vêmo-las brilhar à noite. Nas trevas nasce a luz mais intensa. Talvez por tudo isto, o olhar de Deus incide mais em quem mais sofre.
31/1/2020
Teresa Ferrer Passos

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

SANTA TERESA D' ÁVILA (1515-1582) E OS MAUS CRISTÃOS, ONTEM E HOJE

Santa Teresa (de Ávila)
pelo pintor italiano Mattei Preti
(1609-1999)

«Teresa inicia com um pequeno grupo - 'estas pouquitas' que estão aqui, as monjas de S. José, que fazem parte dos "poucos amigos" de Deus entre "tantos inimigos" - uma 'estratégia das elites': "determinou-se a fazer 'esse pouquito' que  estava em mim"». (...) «O 'pouquito teresiano' consiste em formar grupos de 'amigos fortes de Deus': grupos 'pequenos e escolhidos'; 'gente escolhida' de 'bons cristãos' que vão até ao fundo na exigências do Evangelho e no seguimento de Jesus». (...) O mundo está ardendo, querem voltar a condenar Cristo... querem deitar por terra a Sua Igreja». (...) [Uma] Igreja feita de heréticos, que a traíram, de católicos, bons, mundanizados, ou preguiçosos, de pregadores e doutos teólogos que não são suficientemente santos, e de santos espirituais que não são suficientemente doutos, de religiosos relaxados e outros observantes» (...) 

Manuel Fernandes dos Reis, "Santa Teresa de Jesus e a vocação de oração" in «Revista de Espiritualidade», nº77, Janeiro/Março 2012, pp. 13, 14, 19 e 23.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Capela de Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face (ao fundo a pintura
de Jesus Cristo da autoria de Rouhault),em Hem (norte de França)
A "Santa Face", pintura de
 Georges Rouault (1871-1958)
A ternura de uma "Santa Face" com o olhar mais dialogante do mundo. Eis o retrato de Jesus Cristo. Uma presença de sua Santa mãe e um presente do Deus, que chega com um olhar transbordante de alegria, até àqueles que o queiram receber. Uma mensagem enlevante, descobre-se nesta pintura de Georges Rouhault (1871-1958), colocada no altar da Capela de Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face, em Hem (França).
29/1/2020
Teresa Ferrer Passos

domingo, 26 de janeiro de 2020

A propósito do livro de Manuel Frias Martins, «Matéria Negra: uma teoria da literatura e da critica literária», referido por Carlos Lopes Pires no Facebook

«Quando, em Abril de 2019, li o livro “Matéria negra: uma teoria da literatura e da crítica literária”, foi com deslumbramento. Era a primeira vez que lia algo sobre poesia com podia identificar-me totalmente. Obra vastamente ignorada (pelo menos no que respeita à sua aplicação), parece-me, porque não está de acordo com os cânones que caracterizam os que definem, modernamente, e neste país, as linhas estéticas, e outras, da literatura em geral, e da poesia, em particular.»
   Carlos Lopes Pires, Post in Facebook [excerto] (24/1/2020)

«Segundo os Físicos, a matéria negra até pode não existir... Em transposição para a literatura e, em especial para a poesia, o poema, diria eu, o poema poético, vive daquilo a que o Carlos Lopes Pires chama a ignorância de si, a ignorância de uma realidade (a sua própria realidade) que, de tão revestida de uma presença tão invisível e mesmo fugaz, até pode parecer não existir, tal como a matéria escura do universo. A obra de Manuel Frias Martins "Matéria negra: uma teoria da literatura e da crítica literária” é uma chamada de atenção, parece-nos, para as raízes escondidas ou desconhecidas da arte a que se chama literatura (o escritor é um abismo perante si próprio) ou crítica literária (o crítico confronta-se com um abismo que é o próprio autor confrontado com ele próprio, crítico literário).»
Teresa Ferrer Passos in Facebook, coment a Carlos Lopes Pires (25/1/2020)

«Totalmente de acordo.
«A Teresa já me conhece há muitos anos (sou seu padrinho de casamento) e sabe que, realmente, os meus conhecimentos literários escasseiam. E não estou a armar-me em modesto: é mesmo verdade. Mas cada um de nós, durante a sua vida mais ou menos curta (acho que todas as vidas são curtas, desde que desejadas), reflete sobre a sua existência. Sempre me senti bem na poesia, e sempre senti que a poesia "é outra coisa". Agora pensem só no meu espanto, espanto maravilhado quando encontro naquele livro escrito o que a mim me parecia. Até a expressão de que a poesia "é outra coisa" (que comecei a usar, salvo erro, em 2017) lá estava. Então pergunto-me o que são coincidências. É de livros e pessoas assim, tal como o seu comentário, Teresa, que dão uma espécie de sentido à vida. Como se fosse um grande abraço.»
Carlos Lopes Pires, resposta in Facebook 25/1/2020


«A sua reflexão, de longa data, sobre a psicologia, já é algo que não pode deixar de incluir uma reflexão entre literatura e poética. E criar uma poesia original, como a sua, nos tempos que correm, não é mérito pouco valioso. E, daqui vai na palavra de um sentimento, um abraço Carlos Lopes Pires!»
Teresa Ferrer Passos, Coment-resposta in Facebook, 26/1/2020

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Pensar em torno da Física... no ano de 1995

Os Físicos Satyendra Nath Bose e Albert Einstein

«A recente criação de um novo estado da matéria»

«A descoberta científica mais importante dos últimos tempos, pelo menos no campo da Física, foi levada a cabo, há poucos meses, por um grupo de cientistas norte-ameri-canos, liderado por Carl Wieman, da Universidade do Colorado, e Eric Cornell, do National Institute of Standards and Technology, também no Colorado. Há quem pense que, com esta descoberta, Wieman e Cornell são fortes candidatos a um Prémio Nobel. (...)
A existência deste novo estado da matéria já tinha sido prevista por Einstein, há cerca de 70 anos, num artigo relativamente secundário em relação ao grosso da sua obra, e inspirado numa ideia do físico indiano Satyendra Nath Bose. Donde o ser desde então conhecido pela designação de 'condensação de Bose-Einstein' (abreviadamente, BEC), mesmo sem se saber se, de facto, tinha lugar no mundo real, e, em caso afirmativo, quais as suas propriedades.
O largo tempo decorrido desde a previsão de Einstein até à sua confirmação experimental deve-se ao facto de a BEC apenas ocorrer a temperaturas baixíssimas, muito próximas do zero absoluto (a temperatura mais baixa que pode existir), e extremamente difíceis de produzir, mesmo com a mais avançada tecnologia. Outra dificuldade experimental foi a necessidade de ter que utilizar gases extremamente diluídos.» (...)

               Fernando Henrique de Passos, «A recente criação de um novo estado da matéria» in Gazeta de Poesia Revista de Literatura, Ciência e artes - No Mundo de Língua Portuguesa em busca de uma poética do tudo, nº 6, Outono/Inverno de 1995, pp. 44-45.


segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

A fé

"A Virgem e o Menino Adormecido",
pintura de Sassoferrato (1609-1685)

A fé não é uma certeza (racional), é uma fé (fidelidade a alguém ou a alguma coisa). É essa a fé dos próprios santos.
    
                                                               Teresa Ferrer Passos

domingo, 19 de janeiro de 2020



Memória de EUGÉNIO DE ANDRADE (1923-2005) no dia do seu aniversário natalício, 19 de Janeiro:


Introdução ao canto

«Ergue-te de mim,
substância pura do meu canto.
Luz terrestre, fragrância,
Ergue-te, jasmim.

Ergue-te, e aquece
a cal e a pedra,
as mãos e a alma.
Inunda, reina, amanhece.
   
Ao menos tu sê ave,
primavera excessiva.
Ergue-te de mim:
canta, delira, arde»

Eugénio de Andrade, Poesia e Prosa [1940-1979], Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1980, pág. 133.

sábado, 18 de janeiro de 2020

Breve pensar

Só nos resta resistir. E resistir é a luta nos dias de treva e nos luminosos.

O amor é sem retorno verdadeiro, vive por si no coração dos eleitos.
   
    A comunhão, na identidade diferenciada homem-mulher, é uma construção a reerguer, cada dia que passa. Aqui está a rocha firme do amor que sustenta o casamento cristão.

18/1/2020
Teresa Ferrer Passos

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

A Modernidade e a morte de Deus


“Com a morte de Deus não se indica só o desaparecimento da ideia de Deus e a metafisica nela fundada, mas também o desaparecimento de toda a tentativa de dar coerência e sentido, fundamento e finalidade, meta e ideais: a queda de todos os princípios e valores supremos.”
   
Gabriel Amengual (filósofo espanhol)

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Um poema para o Fernando no dia dos seus anos


Monte Arunachala, Tamil Nadu, sul da Índia
UM DIA NOVO


um dia repetido muitas vezes
é ainda mesmo assim um dia novo.

um dia, viste, a primeira vez, a luz.
eras um pequenino ser.
nesse dia rompeste as trevas imensas,
medonhas, de susto, de um silêncio único,
recanto sem poder haver choro ou grito,
sequer um buscar da novidade, do inesperado, 
sem o desafio da serenidade dos espaços
ou da dúvida impressa nos imensos desertos.

um dia, viste, a primeira vez, a luz.
gritaste, gritavas de alegria
e todos assombrados perguntaram.
porque grita assim?!
tu não podias falar ainda e respondeste
com um grito tão fundo que transmitiu 
a alegria que lá se guardava.
   
14 de Janeiro de 2020
    
                                 Teresa Ferrer Passos

domingo, 5 de janeiro de 2020

Dia dos Magos do Oriente



Os sábios curvaram-se ante o Menino, o Salvador, que acabava de nascer. O Altíssimo deu-lhes apenas um sinal ao seu olhar indagador: no céu descobriram uma estrela mais brilhante do que as outras. Interpretaram bem. Só era preciso segui-la.
   
Dia dos Magos do Oriente
T.F.P.